Então, a vida continua corrida. Nada muda. A rotina dos filhos incessante, pais com saúde frágil, trabalhos enormes e complicados e um corpo cansado. Incluir leitura nesse meio tempo pra mim é muito complicado. Começo a ler duas páginas e já tombo. Assim, durante anos eu desisti de ler qualquer livro e fui acumulando ao lado da minha cama uma pilha de 7 livros que variam de ficção a empreendedorismo, meu tema preferido. Aí eu soube que Zeca havia lançado seu livro. Bem, pra quem não sabe Zeca foi a pioneira nesse trabalho eu acredito que no Brasil, não somente no RJ. Por muito tempo eu acompanhei minimamente a trajetória dela. Em 2004 quando me aventurei de corpo e alma nesse universo residencial, não tínhamos o fácil acesso a internet. Meu computador era um Pentium e a internet discada, alguém lembra disso? Mas o mais difícil era: ela não se expunha. Não era fácil conseguir o contato dela. E também não sei se teria coragem de entrar em contato com ela, como tantas pessoas entram comigo. Sinceramente, ela era um mito pra mim. Inatingível! Até hj não a vejo circulando em rodas, eventos, não se mistura, não sei porque motivo e também não julgo, mas a admiro de montão!
Então, comecei a ler o livro no carnaval. Isso mesmo! Em um pedaço das minhas mini férias eu meti a cara deitadinha na rede em Angra. Dei uma boa alavancada. Foi-se o tempo em que eu conseguia ler um livro em um dia. Mas eu, ainda quem em férias, fraciono meu dia para descansar de fato, não pensar em nada. Em ir pra praia. Em dormir. Em ler.

A outra parte do livro, eu terminei de ler agora na Semana Santa, num resort onde eu finalmente tirei mais 4 dias das mini férias. Aliás, foi um investimento isso. Descobri que resort é tudo o que preciso. As crianças já tem autonomia para fazerem muitas coisas sozinhas, se viram nas refeições, e rodam o resort inteiro enquanto eu calmamente e deitada na espreguiçadeira lia meu livro. E sem falsa modéstia, me vi em Zeca. Entendi que o livro não é um produto de marketing. Me agregou pouca técnica, porque tenho a vivência e profundo conhecimento do meu mercado, ainda assim tirei umas cinco boas dicas que vou levar pra vida! Mas sem dúvida, os comentários, as histórias, a escrita é genuína. É de alguém que esteve, está, respira e vive o mercado e não apenas estuda sobre ele. Que não faz apologia ao desapego porque nem todo cliente quer e deseja isso. Trabalha demandas específicas e como eu sempre digo, trabalha a pessoa e não o espaço. Esse é o diferencial dela. Esse é o meu diferencial, ainda aprendiz mas chegarei lá sem perder minha essência, sem corromper meus valores. É isso! Conselho: leia!

beijos e boa semana
Verônica Cavalcanti

Compartilhe com os amigos