Continuo me esforçando num grau máximo para estar sempre com as mídias atualizadas, mas o blog, ah o blog, ele me exige muito mais. Olhando à frente da minha mesa de trabalho, tenho minhas pranchetas lindinhas e coloridas, cada uma com sua função. Colada numa delas está um Post It com uma listagem de posts a serem publicados por ordem de acontecimento. Mas quem falou???? Quem falou que consigo????? Gente, leio todos os dias esse papel, mas são muitas coisas por fazer. Em andamento no meu espaço de trabalho atualmente, tenho 2200 fotografias sendo digitalizadas e organizadas em álbuns físicos também. Em paralelo, um trabalho de montagem de dois álbuns, num total de 1000 fotos, já na fase de confecção das legendas e entrou mais uma empreitada mega de mais de 10 mil fotos para digitalizar. Aliás, esse último projeto desafiador, é de uma cliente cuja história vou contar agorinha!

Nós temos uma grande amiga em comum.
Ela ia se mudar, três dias depois do nosso primeiro contato.
Uma família numerosa.
Uma executiva sem tempo para respirar. Um marido aposentado que é um mimo e tem as rédeas da casa.Um casal incrível!
Prazo apertado, tipo, “pra ontem”.
Uma viagem marcada no melhor estilo Esqueceram de Mim. Toda família junta, coladinho com o fim da organização.
E queriam a casa prontinha antes da viagem. Foi a condição para nossa contratação.

Então, essa nossa amiga ao ouvir sobre a mudança, só falou assim pra ela “Vc precisa das meninas do AO, hein?”. Ela não pensou duas vezes! Ligou pra mim num domingo à noite, tipo 22h45. Eram férias ainda. Mas dá pra entender o tamanho do desespero! Um casal com três filhos, uma adolescente e um jovem rapaz dela, a caçulinha do casal e mais a mãe dela com muitas limitações de saúde. Seis pessoas!! Seis pessoas indo para um apartamento bom, muito bom, de 4 quartos. Tudo seria tranquilo se não tivessem tantas coisas por guardar e um prazo curto pra cumprir. A mudança saiu numa quinta e na sexta estávamos lá, firme e forte e lá ficamos até a terça, quando já não restava muito por fazer. Na quarta eles viajaram em família com tudo organizado, conforme prometido.

Bem , não foi fácil não! Começamos na sexta pelo quarto das meninas, avó e netinha de 6 anos que agora iriam dividir o mesmo espaço. Acho que era a pior parte. Muita coisa. Muita mesmo. Tanto da menina em uma fase onde tem muitos brinquedos como de uma avó que desmontou uma casa, enxugou bastante e o que sobrou, foi pra dentro desse quarto. Isso porque ainda contamos com um senhor planejamento de marcenaria. Uma arquiteta que otimizou todos os espaços possíveis. Ufa! Num foi mole não. Muita boneca, muita pelúcia, muito tecido, máquina de costura e coisas, e coisas, e coisas…
A sexta-feira foi inteira só dedicada à separação das roupas que estavam todas misturadas e aos brinquedos e objetos. Muitos ainda estavam em caixas na sala pois não havia mais espaço no quarto. As camas estavam tomadas!

Aí chegou o sábado e domingo, e fomos com uma “força tarefa” de 5 pessoas no total. Duas com a tarefa de dar continuidade ao quarto das meninas. Outras duas no quarto do casal, que incluía um closet e um home office. Um closet onde o marido tinha mais roupa do que ela e ainda assim, em nome do amor, e que amor, fez várias concessões para ela.Um mimo!
Eu, sozinha, fui para o quarto da filha adolescente e assumi esse espaço. Era o que dava menos trabalho. Ali, eu não precisaria de assistente. Ainda nesse interim, fizemos o quarto do jovem rapaz. Um armário com poucas roupas mas um quarto lotado de mangás, revistas em quadrinhos e muitas miniaturas de personagens desse mundo nerd, que pra nossa felicidade o dono não deixou a gente tocar. É uma responsabilidade além! Ele preferiu fazer sozinho.

Depois do fim de semana pauleira que tivemos, o pior já havia sido concluído. Tirando as horinhas que levei para organizar o armário da adolescente, o resto eu gastei no quarto das meninas, buscando soluções para o que parecia impossível. Mas valeu à pena! Coube tudo! Inacreditável, mas coube. Longe de ficar harmônico, mas tava tudo lá, eles queriam assim, ficou e eles amaram! Esse papo tão atual de descarte e desapego só vale mesmo para quem de fato se propõem a isso. Longe de mim ficar instigando isso no cliente ainda mais quando vc percebe zero abertura para esse assunto acontecer. Vale respeitar e ponto final.

Segunda e terça foi dia de fazer os trabalhos mais leves e principalmente os acertos finais. A equipe reduziu de 5 para 3 pessoas pois tínhamos outros clientes agendados para o mesmo dia e aí, temos que rebolar pra dar conta de tudo e todos! Então, foi a vez de fazer acabamentos no closet do casal, como troca de cabides e encaixar algumas coisas que não tinham rumo ainda, roupeiros que eram setorizados pelos quartos e um pequeno no corredor e ainda, fazer a cozinha e a área, que apesar de estarem com tudo fora das caixas já, precisava que tudo entrasse nos armários dentro de uma ordem que atendesse a rotina da família. Foi um desafio, até que rápido, mas foi.


E assim concluímos toda uma casa com aproximadamente 300 caixas em um curto espaço de tempo porque houve a fórmula mágica que pra mim, nada mais é do que a combinação de uma equipe capacitada e em larga escala nos dias de pico, no caso dessa família, o fim de semana quando os clientes estavam em casa para tirar dúvidas e agregar + clientes comprometidos e ágeis em tudo o que era solicitado + amor em tudo o que fazemos. Só pode dar em coisa boa sempre!

Mais um cliente feliz e fidelizada porque no fim do trabalho as fotos que ela sonhava em ver digitalizadas, já vieram para o home office do AO. E voltando ao início desse post, são as 10 mil que estão em caixas da Fink para serem digitalizadas. Orçamento já foi emitido e aprovado, já já vai virar post aqui. Aguardem!

Beijos e boa semana
Menina do AO

Compartilhe com os amigos